Páginas

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Para onde vão


Onde estão agora
estão por toda parte
estão em lugar algum!
Estão onde ninguém queria estar: abandonados!
Amedrontados, famintos, cansados, desiludidos, tristes.
Tristes, tristes, tristes.

E para onde irão agora?
Nem eles sabem.
Eles só queriam agora um refúgio,
Um lugar para se abrigar.
Descansar os pés doloridos, o coração sofrido e a alma cansada.
Minha oração nesta hora não tem e nem conseguiria ter palavras.
Deus o sabe.
Minha oração é esta lágrima salgada
que escorre pelo meu rosto
dizendo em silêncio: Deus socorre o povo da Síria,

                             Manoel Augusto