Páginas

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

A Pluma e a Vida


Lá vai a pluma
Vai ao sabor da brisa da manhã
Suave em seu vôo,
livre, pleno, doce
em sua maneira de ser!
Inocente,
vai aonde o vento lhe levar.
Lá vai a pluma
as vezes subindo, as vezes descendo
mas ela vai e já não pode parar
enquanto a brisa lhe tocar.

A vida é como a pluma
solta ao sabor dos acontecimentos
as vezes bons, as vezes ruins
e já não se pode parar.
Então, se tem de ter assim
seja suave, seja livre, seja plena.
Seja doce enquanto durar!

             Manoel Augusto