Páginas

domingo, 28 de agosto de 2016

Da minha infância

Do que sinto falta?
de minha infância
De ser menino de pés descalços, peito desnudo
de sempre pouca roupa e muita alegria no coração.
A infância da gente passa tão depressa
que parece que foi um sonho.
Que jamais fui pequeno, infantil, irresponsável e de fácil sorriso,
e de fácil choro também!
Do que sinto falta?
Daquela casa da minha infância
Daquele lugar que ficou na minha lembrança como
o lugar em que viveria para sempre alí.
Os cheiros, os gostos, os sons e as músicas
ainda hoje posso sentí-los na alma.
Se fechar os meus olhos, agora mesmo
posso andar naquelas ruas, parar naqueles portões
e rever meus amigos da minha infância querida.
Hoje, gosto de ver as crianças sendo criança
fazendo coisas da infância
pois depois que passar
jamais voltará outra vez.

           Manoel Augusto