Páginas

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Navegando minha vida

Vou navegando minha vida
vou cruzando esse mar bravio que é exisir
De velas ao vento eu vou
Coração decidido eu vou
Vou cruzar o horizonte
eu sou sobrevivente das tempestades, eu sou!
Que venham a fúria e as torrentes então
tenho âncoras em meu coração
já não posso voltar
já não quero voltar
eu nem sei mais voltar
impossível deixar rastros no mar.

Vou navegando minha vida
na calmaria cantar
nas tempestades orar
Venham ondas, violentas ou não
tenho âncoras em meu coração!
Já não quero voltar, eu nem sei mais voltar
impossível deixar rastros no mar!

                     Manoel Augusto