Páginas

terça-feira, 30 de agosto de 2016

O vendedor

Ele não entendia
como as pessoas podiam fazer aquilo
compravam todos os dias tudo o que produzia
e saía pra vender.
Seus cestos sempre voltavam vazios.
o que lhe intrigava era
que andava por aquelas ruas todos os dias
e encontrava estas mesmas pessoas
e não as via usar o que lhes comprava.
Ele não entendia como algo tão bonito,
tão necessário e tão bom para quem oferece
e para quem recebe.
O vendedor de sorrisos
ficava triste ao perceber
que ninguém tinha coragem
ou talvez tivessem vergonha de sorrir!

                  Manoel Augusto