Páginas

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Deixa estar


Deixa estar,
Ainda encontro aquele caminho que perdi,
na minha infância, época das inocências verdadeiras,
eu vou sossegar e ser feliz!
Deixa estar,
que quando encontrar aquela flor,
que dava côr a minha juventude,
os dias de amar os dias,
Vou festejar, vou celebrar
e dar a mão aos meus amigos, vou me inundar!
Deixa estar,
que quando eu voltar por este mesmo caminho,
e já estiverem brancos meus cabelos,
não vou ligar,
eu vou seguir o meu destino
levando a minha flor da juventude,
e agora é hora de lembrar, deixa estar.

                               Manoel Augusto