Páginas

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Um rio em mim


Eu tenho um rio em mim,
de idéias que jorram da minha inquieta
mente sem parar,
de palavras que invento, sedento de
tentar explicar esse intenso advento, existir, resistir e sonhar,
e num raro momento de calma, represa das águas, parar!
e nessa hora, dormir, tentar descansar
pro inevitável acordar,
mas nem por isso, imagine, parei de pensar
que esse rio que corre assim,
é minha alma que não cabe em mim,
e calada já não sabe ficar, furiosa
ela tem que correr, ela tem que seguir,
ela tem que jorrar.

                Manoel Augusto