Páginas

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Atormentado e feliz


Tenho nas minhas mãos as marcas da dificuldade.
Mas, meu olhar diz a todo mundo que não vou desistir.
Minhas sandálias gastas de tanto andar,
Meus pés sujos da poeira da estrada da vida difícil que levo,
confunde e contrasta com um sorriso sempre nesta face
marcada pelo tempo.

Quem me olha, diz: ele não sabe o que é sofrer!
Mas, meu espírito abrigado por este corpo surrado que
o contém, sabe!
A dor sempre foi meu combustível!
Me atormenta, me alimenta, me inspira
e me faz ser de guerra, de luta e não me deixa retroceder.

Tenho nas minhas mãos as marcas da dificuldade.
Mas meu coração é leve como uma pena pequenina.
O tempo desgasta meu corpo, mas ele abriga um
espírito jovem e feliz!
O vento contrário bate forte e quer me empurrar para traz,
Mas, dentro de mim uma chama que não se apaga me diz pra seguir.
eu penso que quanto mais difícil é a vida,
mas queremos continuar a lutar!

         Manoel Augusto