Páginas

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Emociona-te


Emociona-te, sim, emociona-te.
Para você que quer passar a vida incólume,
que se abriga das emoções, das sentimentalidades devidas
a quem tem um coração latente, pulsante, ardente.
Para você que se defende com todas as forças,
do sentir, do querer, do expressar, exprimir,
contentar, revoltar, revoar, ressentir.
De sentir, jamais deveria abstrair-se,
de se emocionar, jamais deveria omitir-se.
Se é por isso que tens um coração.
Se alguma coisa partí-lo, despedaçá-lo mesmo,
em mil pedaços tal,
e tú tiveres de juntar os pedaços todos,
que prazer terás!
e tú verás que assim tú te sentirás cada vez mais vivo.
Do contrário, querido amigo,
estás morto em vida.
Cometeste suicídio e não morreste.
Porque o que é a vida, senão começar de novo,
de novo e de novo!
o que nos diferencia das coisas inanimadas é justamente o sentir!
Mais do que pensar, mais!
Pois existir é uma questão de como te sentes no mundo!
Por isso, retira a armadura, abaixa tuas armas,
renda-se! e emociona-te!

                 Manoel Augusto