Páginas

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Não tenho preço



Não tenha preço,
quanto mais caminho pelo mundo mais me sinto pelo avesso.
Porque eu não quero nada que se seja de outro alguém
eu só quero o que eu mereço
E é por isso que me sinto assim, eu me conheço
mas quem me olha, quem me ouve, quem me julga
acha que é de sanidade que careço
Mas homem, homem de verdade não tem preço
Todo caminho sobre a terra tem seu fim
mas o que me importa é o começo
Essa vida é um desafio,
desafia todo dia a quem espera o seu tropeço.
ah, irmão, não tenha preço,
escolha o seu destino e esqueça o resto
pois é assim que eu consigo fazer da consciência meu endereço,
coração leve, mente tranquila e sempre em paz a cada noite eu adormeço.
há quem me entenda, ao que duvida eu esclareço
a quem se vende, a quem se perde, me compadeço
sua tristeza, as suas perdas, suas escolhas que o escravizam,
não quero ver, só me aborreço
então espero que ele acorde dessa sina
eu fico assim, feito criança, um tanto cheio de esperança
e me enterneço,
Eu sei que tudo vem de Deus e agradeço
por poder viver assim,
porque a vida é preciosa, mas como dizem não tem preço
e por ela ser assim, lhe tenho apreço
e  por mais que eu caminhe pelo mundo e me sinta pelo avesso
não quero nada de ninguém, eu só quero o que mereço
então desista quem pensa que eu vou mudar
eu meço meus passos, eu me conheço
basta me olhar pra ver que eu não tenho um preço.

      Manoel Augusto