Páginas

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Vida persistente vida

Ah, vida!
Persistente em tua vontade de continuar,
Quem pode mensurar essa tua vontade,
Tua chama não se extingue tão fácil assim!
Ah, vida!
que insistes em permanecer, ainda que tudo a tua volta
venha te dizer: Agora é o teu fim!
Não, tú não desistirás tão fácil assim! 
 
 

Dentro de tí uma chama que arde e não se pode apagar!
Basta a tí um pouco de ar, úmido, límpido ar,
e um resquício de raio de sol,
Basta-te um rápido vislumbre da luz,
e então eis você, vida!
pode até estar esqucida no fundo
de uma gaveta do armário.
Vida, vida, vida!
 
Manoel Augusto